18 de maro de 2019

Filarmônica de Minas Gerais apresenta Fora de Série

Em nove concertos especiais, ao longo do ano, o público terá a oportunidade de apreciar temas musicais em diálogo como dança, teatro, cinema, fauna e flora, guerra e paz, mitologia, pintura, religiosidade e literatura.

Por Redação Bem Minas

Publicado as 05/03/2019 08:59

A Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, mantida pelo Governo de Minas Gerais, dá início ao programa Fora de Série, no sábado (9/3), às 18h, na Sala Minas Gerais, que explora a conexão da música com outras manifestações. Em nove concertos especiais, ao longo do ano, o público terá a oportunidade de apreciar temas musicais em diálogo como dança, teatro, cinema, fauna e flora, guerra e paz, mitologia, pintura, religiosidade e literatura.

No primeiro concerto, a Orquestra, com a regência do maestro Marcos Arakaki, revela o lirismo e o drama de um dos balés mais conhecidos da história da música “A Bela Adormecida”, de Tchaikovsky. Na sequência, o público aprecia as obras “Rodeio: Quatro Episódios de Dança”, de Copland, “Danças Africanas”, de Villa-Lobos, e “Danças do Balé Estância”, de Ginastera, em criações musicais influenciadas pelas raízes folclóricas e étnicas brasileiras. O concerto foi viabilizado pelo Ministério da Cidadania e Governo de Minas Gerais, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Repertório

“Rodeio” (1942), escrito por encomenda da coreógrafa Agnes De Mille, fez sua estreia com o Balé Russo de Monte Carlo, recém-chegado aos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial. A história se passa no Velho Oeste e acompanha as aventuras de uma vaqueira interpretada por De Mille. A obra posiciona Aaron Copland definitivamente na composição americana.

“A Bela Adormecida”, de Tchaikovsky, encomendada pelo diretor do Teatro Imperial, de São Petesburgo, Ivan Vsevolozhsky, nasceu da proposta de escrever uma obra dedicada à figura mitológica de Ondina, contudo, o autor não avançou no trabalho, adiando a entrega do manuscrito. Vsevolozhsky entregou a Tchaikovsky um folheto contendo o famoso conto de fadas francês “La Belle Au Bois Dormant” (“A Bela Adormecida”), despertando o imediato interesse do compositor. Assim, a Bela Adormecida estreou em 15 de janeiro de 1890. A obra é a mais consistente dos três balés de Tchaikovsky e também aquela que perfeitamente define a essência do balé clássico.

“Danças Africanas” é a epítome dos experimentos em ritmo e harmonia característicos do compositor Heitor Villa-Lobos, existentes mesmo anos antes da Semana de Arte Moderna de 1922. Reconhecido no meio musical, Villa-Lobos consolidou-se no posto de uma das mais criativas figuras da música brasileira do século XX.

“Estância”, do compositor erudito argentino Alberto Ginastera, é inspirado no poema de José Hernández, “El Gaucho Martín Fierro”, publicado em 1872. O balé foi encomendado pelo coreógrafo Lincoln Kirstein, em 1940. A suíte é composta por movimentos extraídos da segunda cena do balé: “La Mañana”, “El Amanhecer”, “Los Trabajadores Agrícolas”, “Danza Del Trigo”, “Los Peones de Hacienda”, e a “Danza Final”, que retrata o começo de um novo dia através da estilização do malambo, dança masculina argentina em que o dançarino executa uma série de movimentos com os pés e que, no século XIX, era tida como a principal forma de um gaúcho demonstrar destreza e vigor.

Orquestra Filarmônica

A Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, considerada uma das principais orquestras do país, tem como o seu principal mantenedor o Governo de Minas Gerais, além de contar com a renda de bilheteria e de patrocínio da iniciativa privada.

Criada em 2008, nos últimos 11 anos ultrapassou à marca de um milhão de pessoas em suas apresentações, seja na Sala Minas Gerais, em outros palcos ou em concertos ao ar livre. Em seu site (www.filarmonica.art.br) oferece ao público conteúdos gratuitos sobre o universo orquestral.

Sob a direção artística e regência titular do maestro Fabio Mechetti, a orquestra conta com 90 músicos provenientes de todo o Brasil, Europa, Ásia, Américas Central e do Norte e Oceania, selecionados em audições públicas.

A Orquestra Filarmônica de Minas Gerais recebeu a principal condecoração pública nacional da área da cultura, a Ordem do Mérito Cultural 2018, concedida pelo Ministério da Cultura. Também foi agraciada com a Ordem de Rio Branco, insígnia diplomática brasileira.

Fora de Série – Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

Copland                  Rodeio: Quatro Episódios de Dança

Tchaikovsky           A Bela Adormecida

Villa-Lobos             Danças Africanas

Ginastera               Estância

Data: 9 de março, às 18h

Local: Sala Minas Gerais – Rua Tenente Brito Melo, 1090, Barro Preto – Belo Horizonte

Ingressos: R$ 46 (Coro) R$ 52 (Balcão Palco) R$ 52 (Mezanino), R$ 70 (Balcão Lateral), R$ 96 (Plateia Central) e R$ 120 (Balcão Principal)

Meia-entrada: estudantes, maiores de 60 anos, jovens de baixa renda e pessoas com deficiência, de acordo com a legislação

Bilheteria: Sala Minas Gerais – Rua Tenente Brito Melo, 1090, Barro Preto – Belo Horizonte

De terça-feira a sexta-feira, das 12h às 20h; aos sábados, das 12h às 18h; às quintas e sextas de concerto, das 12h às 22h; aos sábados de concerto, das 12h às 21h; aos domingos de concerto, das 9h às 13h.

Informações para o público: (31) 3219-9000

 


Comentários



© Copyright 2019. Portal Bem Minas.