Search

Bairros de BH e região registram chuva intensa nesta terça-feira (26); confira as recomendações da Defesa Civil

Belo Horizonte e outras 589 cidades de Minas estão sob alerta de chuvas intensas válido até quarta-feira (27), às 10h 

Na tarde desta terça-feira (26), bairros de Belo Horizonte e da região Metropolitana da capital registraram fortes chuvas. De acordo com a Defesa Civil as precipitações variaram em algumas regiões. As Regionais Oeste e Barreiro chegaram a registrar chuva extremamente forte, já na Pampulha o registro foi de chuva forte. 

Em Contagem houve alagamentos de ruas e avenidas.  Na região do bairro Industrial, também em Contagem, a chuva foi acompanhada por rajadas de vento. No momento da precipitação, a temperatura na região Metropolitana era de 24ºC.

Segundo comunicado da Defesa Civil, Contagem está sob alerta de chuvas que podem alcançar até 50 milímetros diários, acompanhadas de ventos fortes, aumentando o risco de queda de árvores e ocorrência de alagamentos. O alerta é válido às 10h de quarta-feira (27). 

Na manhã desta terça-feira (26), a Defesa Civil também anunciou um alerta para a capital mineira. O comunicado de risco geológico moderado serve para as regiões Barreiro, Oeste e Pampulha e é válido até a próxima quinta-feira (28/3).

Em razão da quantidade significativa de precipitação observada nas últimas horas e da previsão de mais chuvas, a autoridade municipal está aconselhando os moradores a monitorarem de perto o nível de saturação do solo, observarem quaisquer sinais de instabilidade em estruturas construídas e tomarem precauções contra possíveis quedas de muros, deslizamentos e desabamentos.

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Belo Horizonte e outras 589 cidades de Minas estão sob alerta de chuvas intensas válido até quarta-feira (27), às 10h. As previsões indicam a ocorrência de chuvas variando entre 20 e 30 mm por hora, ou até mesmo atingindo 50 mm ao longo do dia, acompanhadas de ventos com velocidade entre 40 e 60 km/h.

A população ainda deve ficar atenta aos riscos de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e descargas elétricas.

Confira as recomendações da Defesa Civil:

• Se você observar aparecimento de fendas, depressões no terreno, rachaduras nas paredes das casas e o surgimento de minas d’água ligue imediatamente para a Defesa Civil (199);

• Dirija com segurança na chuva. Verifique os limpadores de para-brisas, faróis, lanternas, luzes de freio e pneus. Evite frear bruscamente e dar “golpes na direção” para reduzir o risco de aquaplanagem. Deixe um espaço de segurança entre você e o veículo da frente;

• Durante as tempestades com raios, retire os aparelhos elétricos das tomadas e não se exponha a superfícies condutoras;

• Se estiver na rua, não permaneça em áreas descobertas. Nunca se abrigue debaixo de árvores isoladas e evite topos de morros e prédios;

• Mantenha equipamentos elétricos distantes da água. Não os toque e nem os use caso tenham sido molhados ou estejam em locais inundados, pois há risco de choque elétrico;

• Não se abrigue ou estacione o seu carro debaixo de árvores, pois elas podem cair e ocasionar graves acidentes;

• Jamais se aproxime de cabos elétricos arrebentados.Ligue imediatamente para a CEMIG (116);

• Coloque objetos em lugares que não caiam com a ocorrência de ventos fortes;

• Evite trafegar em áreas de inundação ou em ruas sujeitas a alagamentos;

• Se você for surpreendido dentro do carro por uma inundação, abra os vidros, suba para o teto pela janela, peça socorro e se possível ligue imediatamente para o Corpo de Bombeiros (193);

• Se você mora ou trabalha em áreas sujeitas a inundação, coloque seus móveis e estoques em lugares altos;

• Não utilize alimentos e água atingidos pela inundação ou pelo alagamento;

• Não fique ou deixe crianças na enxurrada, pois podem ser arrastadas e se afogarem;

Compartilhe nas suas redes sociais:

Lorena Cordeiro

Lorena Cordeiro

Jornalista e mestre em Comunicação pela Universidade Federal de Ouro Preto – UFOP. Repórter no Portal Bem Minas desde 2020 nas editorias Meio Ambiente, Mineração e Energias Renováveis.

Artigos em alta